Tijolo ecológico

Tijolo Ecológico

Este artigo é o quarto de uma série de 5 capítulos eletrizantes sobre algumas construções sustentáveis, suas vantagens, desvantagens e dicas importantes para construir de forma mais econômica e mais amiga do meio ambiente. Hoje, falaremos sobre tilogo ecológico.

O tijolo ecológico é um dos materiais sustentáveis que mais encontramos no setor da construção civil. Muitas casas hoje aqui no Brasil são feitas com tijolo ecológico.

O tijolo ecológico é chamado assim porque não emite CO2 em sua produção, pois sua fabricação consiste na prensa dos materiais e não queima dos mesmos.

A sua matéria prima consiste basicamente de água, cimento e terra.

Há algumas fábricas no interior de São Paulo que armazenam água da chuva em grandes caixas d’água na cobertura da fábrica para utilizar na fabricação do tijolo ecológico.

O tijolo ecológico possui um acabamento perfeito, que o diferencia dos tijolos comuns que conhecemos no mercado. Sendo assim, existe a possibilidade de deixa-lo aparente na parede, pois sua aparência é muito bonita, somente tomando o devido cuidado de impermeabilizá-lo. Se o desejo é rebocá-lo, pintá-lo, cobri-lo com revestimento, tudo isso é possível também. Fica “a gosto do freguês”.

Nas duas faces maiores (mais largas) do tijolo, há um encaixe “macho-fêmea” nas suas extremidades, permitindo um assentamento perfeito, travando automaticamente, conforme a parede estiver sendo erguida e seu peso for aumentando. Dessa forma, o assentamento deixa de ter a necessidade de utilizar argamassa, gerando uma economia de material para o proprietário da obra.

Para maior resistência da parede e suporte para o peso da laje, telhado e outros elementos, o tijolo ecológico possui dois furos internamente, para a passagem de conduíte, para canos hidro sanitários e sua “estruturinha” que consiste em um ferro (cuja bitola será calculada por um engenheiro civil) e um graute – que é um tipo de uma massa que lembra um concreto.

Para ser bem utilizado, esse tipo material deve ter um planejamento rigoroso de sua estrutura, de seu projeto elétrico e hidráulico. É fundamental que um bom engenheiro calcule a fundação ideal para cada tipo de solo, pois ela vai ser responsável por boa parte da otimização da construção. Assim, desde a primeira fiada das paredes, já se saberá exatamente onde irá cada conduíte, cano de agua e estrutura, e tudo será erguido “ao mesmo tempo”, junto com as paredes. Esse processo gera uma economia para o proprietário na compra de matérias, pois ele evita de ter que comprar madeiramento, pois, não se utilizará mais fôrmas para concretagem. Os tijolos já terão essa função.

A estrutura é bem mais simples e pequena, precisando de menos materias como na concretagem. E os pontos de apoio da construção são menores, precisando de poucos ferros para a estrutura.

Para a compra do tijolo ecológico, deve-se atentar para que este possua uma certificação da ABNT que garanta a resistência do tijolo.

Quando falamos em tijolo ecológico, significa ter uma obra muito limpa tanto ecologicamente (devido e a emissão de Co2 nula) quanto a obra ser muito limpa, devido ao planejamento da obra e pela facilidade da construção.

Na construção de tijolo ecológico é importante saber que, após construído, esse tipo de sistema não permite reformas. Não poderá haver quebra de paredes, porque nesse sistema todas as paredes se tornam autoportantes, ou seja, estruturais, não sendo possível a quebra dessas paredes.

Tudo que a gente entende por resíduo tóxico, pode se tornar matéria prima para a produção de tijolo ecológico. E a cor desse resíduo poderá interferir na cor do tijolo, trazendo um efeito visual no acabamento.

A ideia do tijolo ecológico veio das construções antigas de taipa, onde se faz do barro um sistema construtivo.

Dessa forma que o sistema construtivo de tijolo ecológico, é considerado como um dos sistemas sustentáveis da construção civil, e é um dos materiais escolhidos para o TheGame of Sustainability.


Compartilhar:

Postado em Sustentalibize-se e marcado como , , , , .

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela PUCCAMP, e pós-graduada pela UnyLeya, como Especialista em Arquitetura, Construção e Projetos Sustentáveis. Atua há 19 anos com projetos e construções sustentáveis, e consultorias para empresas e indústrias.