Terceiro Episódio: A estrutura metálica.

The Game of Sustainability

Série de 5 capítulos eletrizantes sobre algumas construções sustentáveis, suas vantagens, desvantagens e dicas importantes para construir de forma mais econômica e mais amiga do meio ambiente.

Terceiro Episódio: A estrutura metálica.

A indústria da construção civil é uma das principais responsáveis pela escassez dos recursos naturais e pela alta produção de resíduos. Aproximadamente 50% de todos os materiais extraídos da crosta terrestre são transformados em materiais e produtos para a construção civil. Com esse panorama, é imperativo que este importante setor seja um grande desenvolvedor de sustentabilidade global, já que esta atividade uma das que mais impactam o meio ambiente.

Pensando nesse viés, um dos sistemas estruturais que se adequam essa nova realidade e necessidade, é a estrutura metálica. Ela é uma solução considerada sustentável, porque agrega várias vantagens ao meio ambiente e é economicamente interessante.

A estrutura metálica alia velocidade, qualidade e racionalização na obra. Porque a estrutura de ser projetada com um nível de detalhamento bastante alto, para que a obra seja rápida e traga economia para o proprietário. As peças metálicas vêm prontas de fábrica, com as medidas necessárias para cada vão e espaço do edifício. As peças, ao chegarem ao local da obra, são içadas por uma grua e serão somente parafusadas no piso ou a outra peça metálica já existe, ou ainda em uma parede.  Esse tipo de solução traz rapidez e agilidade para a obra, diminuindo o tempo de construção.

Esse método construtivo funciona muito bem para projetos de padrão industrializado, que devem ser repetidos várias vezes, tornando bem rápida a construção.

Esse tipo de estrutura dispensa o uso de água para a construção na faze de levantamento da estrutura (diferentemente da estrutura convencional de concreto, que utiliza fôrmas de madeira e água para o concreto, por exemplo).

O metal é considerado um material sustentável porque se ele for deixado na natureza e sem manutenção, ele voltará ao estado inicial de quando ele foi retirado da natureza.

Durante sua vida útil, o metal não transmite nenhum tipo de produto que seja prejudicial ao ser humano.

Um edifício, em sua vida útil, tem alta durabilidade, porque é um material muito resistente se tiver uma adequada manutenção. O metal deve ser protegido com produtos que aumentem sua durabilidade e o protejam contra a ação do tempo (intempéries). Deve também receber uma proteção contra o fogo, pois este material não possui durabilidade em altas temperaturas. Um exemplo que podemos citar são os edifícios das torres gêmeas em Nova Iorque, no fatídico dia em que os aviões se chocaram contra os edifícios. Em poucas horas, o fogo começou a derreter a estrutura de metal do edifício.

Essa solução de estrutura é bem mais leve do que se comparada à convencional (pilares e vigas de concreto) podendo trazer uma economia na fundação. O metal suporta maiores vãos, com uma estrutura mais esbelta, tornando a obra leve, elegante e mais econômica, por necessitar de menos material em um espaço maior (gerando economia também de material).

Por ser um material natural, ele não contamina o ambiente de trabalho da obra nem no espaço utilizado, depois da obra pronta.

Por ser uma obra extremamente racionalizada, pode gerar economia, rapidez, leveza, gerando economia no valor final da obra e sustentabilidade.


Compartilhar:

Postado em Sustentalibize-se e marcado como , , , .

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela PUCCAMP, e pós-graduada pela UnyLeya, como Especialista em Arquitetura, Construção e Projetos Sustentáveis. Atua há 19 anos com projetos e construções sustentáveis, e consultorias para empresas e indústrias.