Mudanças Climáticas e a Arquitetura

As mudanças climáticas estão acontecendo e isso já não é mais assunto apenas para cientistas e ativistas da área. Hoje não cabe mais discutir se elas vão ou não acontecer, já que é um fato em andamento, mas devemos discutir quais providências tomar para reduzir os efeitos do aquecimento global sobre o nosso planeta. Com a preocupação a essas mudanças em setembro de 2019 ocorreu a Cúpula do Clima da ONU em Nova York em que 63 países anunciaram planos para aumentar a ambição das metas climáticas discutidas no Acordo de Paris. Cerca de 60% da população mundial vive em países onde o aquecimento global provavelmente produzirá efeitos catastróficos, segundo um estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI). Para a organização, os países subdesenvolvidos serão incapazes de enfrentar  sozinhos os efeitos econômicos do aquecimento global, será necessário um esforço global das economias desenvolvidas. Calcula-se, aos países subdesenvolvidos, uma perda estimada de 10% de seu Produto Interno Bruto (PIB) per capita até 2100. Além de perdas econômicas será grande a perda humanitária se nada for feito.

Com essa preocupação a sustentabilidade e eficiência na construção civil estão cada vez mais em alta e chamando atenção de arquitetos e designers. Para a arquitetura a sustentabilidade tem que ser mais do que apenas um conceito, temos que começar a ver nessas  soluções verdadeiras armas para combater as mudanças climáticas, preservar a humanidade e o meio ambiente.

E o que podemos fazer na arquitetura para ajudar nos efeitos das mudanças climáticas?

Primeiro passo é começar a implementar soluções sustentáveis na fase de projeto. Segundo a ASBEA essas são as soluções básicas para projeto de arquitetura sustentável:

•Avaliação do impacto sobre o meio em toda e qualquer decisão, buscando evitar danos ao meio ambiente, considerando o ar, a água, o solo, a flora, a fauna e o ecossistema;

•Implantação e análise do entorno;

•Seleção de materiais atóxicos, recicláveis e reutilizáveis;

•Minimização e redução de resíduos;

•Valorização da inteligência nas edificações para otimizar o uso;

•Promoção da eficiência energética com ênfase em fontes alternativas;

•Redução do consumo de água;

•Promoção da qualidade ambiental interna;

•Uso de arquitetura bioclimática.

“É extremamente importante que o profissional tenha em mente que todas as soluções encontradas não são perfeitas, sendo apenas uma tentativa de busca em direção a uma arquitetura mais sustentável. Com o avanço tecnológico sempre surgirão novas soluções mais eficientes.” (YEANG,1999)

Ao redor do mundo há inúmeros exemplos já sendo implantados que visam amenizar os impactos das mudanças climáticas. Um deles é a Family box na China:  projeto valoriza a localização que foi inserido, priorização da luz natural, além de ser um lugar inspirador tanto para crianças como para os pais.

Outro exemplo são as Urban Villas na Suíça: uma inovadora construção suíça que prova que o uso da arquitetura sustentável em residências particulares, além de ajudar o planeta, é atraente também por fatores econômicos. Valorização da luz natural, implementações de soluções de arquitetura passiva para o conforto ambiental das residencias e respeito ao zoneamento local.

Conhece a “Montanha-esponja”? É uma montanha capaz de absorver o gás carbônico da atmosfera. Foi uma proposta do designer Angelo Renna para reduzir o impacto da poluição na cidade de Turim, na Itália. A montanha teria 90 metros de altura e 11 hectares de extensão erguida com a terra remanescente da construção de um túnel da linha férrea que liga Turim a Lyon, na França.

Outro bom exemplo é o “Asfalto do futuro”. A Tarmac, empresa britânica responsável pelo lançamento do Topmix Permeable, um tipo de asfalto absorvente que ajuda a amenizar as cidades com os problemas de inundações e a geração de ilhas de calor.

Esses são alguns que temos pelo mundo. Vale a pena fazer uma pesquisa na internet porque tem muitos outros bons exemplos.

A arquitetura pode ajudar e muito a gente a conseguir se adaptar a essas mudanças que já estão acontecendo. É essencial difundir cada vez mais os conceitos de sustentabilidade e de como isso pode nos ajudar . Nosso planeta vem passando por modificações climáticas sérias que merecem atenção e estudo. Uma forma de fazer isso é desmistificar algumas concepções. Por exemplo: já pensou em tirar da mente do seu cliente que projetos sustentáveis são muito mais caros? As pessoas podem acabar nem considerando a aplicação de soluções eco-friendly por acharem que são pouco acessíveis. Foque em apresentar fatos que comprovem o contrário.

 

 

 

 

 


Gostou? Compartilhe agora mesmo!

Especialista em Arquitetura Sustentável pela PUCPR, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UTP, CEO do escritório de arquitetura Aria41 e consultora em projetos sustentáveis, integrante do CivicWise e professora na Escola de Sustentabilidade.