Moda Sustentável

O que é

A indústria da moda é uma das que mais poluem o meio ambiente, desde as etapas de fabricação dos produtos até o seu descarte. Surgiu, então, a necessidade de buscar alternativas para que esse setor continue produzindo, mas sem agredir a natureza.

moda sustentável é baseada na preservação do meio ambiente em todas as suas etapas de produção, buscando, por exemplo, reduzir a quantidade de poluentes usados na fabricação dos produtos e minimizando a retirada de matérias-primas da natureza. Existem várias maneiras pelas quais a moda pode ser sustentável, mas é importante sempre levar em consideração os aspectos sociais, econômicos e ambientais.

Basicamente, a moda sustentável defende a redução dos poluentes na produção de roupas, sapatos e acessórios, impactando o mínimo possível no meio ambiente.

Essa vertente surgiu da necessidade de repensar a nossa conduta, enquanto sociedade, do ponto de vista ecológico. Da etapa de produção de tecidos ao consumo desenfreado e descarte de peças usadas, a humanidade tem tirado matéria-prima, poluído e degradado a natureza há séculos, sem se preocupar com as consequências disso.

O que contribui para a moda ser sustentável

A escolha das matérias-primas é um ponto importante da moda sustentável. Nesse caso, o ideal é que sejam utilizadas fibras biodegradáveis e produzidas de maneira sustentável (sem o uso de produtos tóxicos).  A fabricação de tecidos a partir de fibras sintéticas (poliéster, viscose, nylon, etc.), por exemplo, necessita de uma grande quantidade de produtos químicos, os quais poluem o meio ambiente. Já os tecidos naturais (lã, seda, algodão, etc.) não necessitam de tantos produtos químicos durante seu processo de fabricação.

O uso do algodão orgânico em substituição ao algodão comum é uma forma de reduzir a poluição. No cultivo desse algodão utilizam-se métodos naturais de controle das pragas, ervas daninhas e doenças. Pode-se também optar pela utilização de fibras recicladas, provenientes dos resíduos da própria produção ou dos resíduos pós-consumo, e de fibras e outras matérias-primas de qualidade, que garantem uma maior durabilidade do produto e evitam que ele seja descartado rapidamente.

Outras práticas importantes para integrar moda e sustentabilidade são: uso eficiente dos recursos hídricos, tanto na fabricação dos produtos como no cultivo da matéria-prima; utilização de corantes naturais, como os extraídos da matéria vegetal; realizar o tratamento adequado dos efluentes provenientes dos processos de fabricação; reduzir o desperdício dos tecidos durante as etapas de corte e costura; respeitar os direitos e garantir o bem-estar dos trabalhadores; priorizar a produção em pequena escala e não a produção em massa, na qual ocorre a produção de uma grande quantidade de peças geralmente de baixa qualidade.

A moda sustentável envolve também o consumo sustentável, ou seja, o comportamento dos consumidores é fundamental para o desenvolvimento deste novo conceito de moda. A sociedade consumidora deve estar bem informada sobre os impactos ambientais e sociais da fabricação, consumo e do descarte das peças. Mas infelizmente os consumidores enfrentam algumas dificuldades para adquirir peças sustentáveis, principalmente pelos preços, que geralmente são elevados, pela oferta limitada de peças e porque muitas vezes os produtos são pouco atraentes.

Praticar a sustentabilidade é um desafio para o ramo da moda, visto que este é um setor que visa a produção e o consumo desenfreado, mas algumas marcas já estão voltadas especificamente para a criação de roupas sustentáveis. É o caso da H&M, que lançou coleções de roupas feitas com materiais mais sustentáveis e alguns tecidos reciclados. Outro exemplo é a marca brasileira Osklen, que utiliza materiais como seda orgânica, algodão orgânico, PET reciclado e tecidos recicláveis.

Mudanças que a moda sustentável propõe

  • Uso de tecidos eco-friendly

Por meio da reutilização de materiais recicláveis, como o já citado algodão orgânico, tecidos desfibrados (resultado da mescla entre retalhos e PET) e juta da Amazônia, tornou-se viável o reaproveitamento de materiais que antes seriam descartados em aterros ou iriam parar no oceano.

  • Adoção de métodos alternativos de tingimento

Esta também é uma mudança defendida, já que ajuda a reduzir o impacto ambiental (no que concerne à contaminação do solo e da água) por meio do uso de tintas de origem natural e menos tóxicas (ou atóxicas).

  • Produção de peças duráveis e atemporais

Tecidos e acabamentos de qualidade também são uma forma de contribuir para a proteção do meio ambiente, diferentemente da fast fashion, que foca na renovação do guarda-roupa a cada temporada, a moda sustentável dá espaço a peças atemporais, que não precisam ser “descartadas” na próxima estação.

O que é moda consciente

Apesar de ser muito parecida com moda sustentável, essa classificação envolve os consumidores que buscam artigos que rendam um bom diálogo, e não só se preocupam com quais materiais as roupas, sapatos ou acessórios foram feitos.

Os adeptos da moda consciente são aqueles que procuram comprar roupas que foram feitas para durar mais tempo do que o usual, evitando um descarte muito rápido das peças. Além disso, eles se interessam pelo processo de produção, afim de saber se este prejudica o meio ambiente, os animais e a sociedade como um todo.

Diferentemente da moda sustentável, que depende muito mais dos criadores do que do público, porque são eles os responsáveis por desenvolver técnicas que não prejudicam o planeta, a moda consciente é uma iniciativa dos próprios consumidores. São eles que fazem o papel de fiscais da produção.

Como ser um consumidor consciente

O primeiro passo para se tornar um consumidor consciente é analisar seu guarda-roupa e manter nele somente aquilo que você usa.

As roupas não usadas podem ser doadas ou disponibilizadas para vendas em brechós, sites, lojas de aluguel de roupas e etc.

Ao comprar uma nova peça você deve se questionar: “Será que eu preciso disso?”, e depois disso, buscar locais onde é possível comprar roupas de forma consciente.

Uma compra consciente precisa de informação. Por exemplo: ao escolher entre uma peça de algodão puro e poliéster, o consumidor que esteja preocupado com as questões ambientais deve optar pela de algodão, que pode ser reciclada.

A moda precisa ser pensada de forma consciente, pois o que você compra e, principalmente, o que descarta, não é uma escolha pessoal, já que estamos todos dividindo o mesmo planeta e recursos naturais.


Gostou? Compartilhe agora mesmo!

Engenheira Ambiental e Sanitarista, formada pela UFLA. Ex bolsista de Graduação Sanduíche em Engenharia Civil e Ambiental pela SIU campus Carbondale. Pós graduanda em Direito Ambiental à nível de Especialização pela UFPR.