Mobilidade urbana e transporte

Mobilidade x Transporte

Apesar de representar um aspecto muito importante na questão da mobilidade, esta transcende o transporte público urbano e é ao mesmo tempo causa e consequência de desenvolvimento econômico e social, da expansão urbana e da distribuição espacial de atividades além de ter relação direta com o nível de atividade econômica e com a distribuição dos postos de trabalho.

Um dos aspectos importantes da mobilidade é a evolução do padrão de deslocamentos, que no Brasil, se alterou radicalmente fazendo com que o sistema de transporte seja frequentemente impactado pela evolução social. A noção de pertencimento não está mais, necessariamente, ligada ao espaço físico ou território ocupado.

O pertencimento a uma rede tornou-se mais relevante, e é cada vez mais difícil estabelecer a fronteira entre a mobilidade cotidiana e a mobilidade eventual e os indivíduos têm em geral uma gama de destinos e rumos muito maior e mais variada

Ao novo padrão de mobilidade, pode se atribuir ainda o impacto das externalidades negativas decorrentes do transporte individualista: aumento do índice de acidentes trânsito, a emissão de poluentes e os congestionamentos que impactam no conforto, tempo de viagem e de espera .

Além destes aspectos, há outro de natureza urbanística e social quando o fluxo de veículos interfere negativamente na interação entre as pessoas, na forma de efeito barreira. Esse efeito faz com que as relações sociais sejam prejudicadas e que a distância entre residência, trabalho e lazer, bem como o tempo despendido ao percorrê-la sejam considerados como indicadores sociais

Entender, registrar e mensurar os novos padrões de deslocamento são desafios cruciais para viabilizarmos mobilidade sustentável, expurgando desperdícios e adequando a oferta de serviços à demanda.

As empresas de tecnologia e as start up’s ligadas à inovações para a mobilidade têm muito a contribuir neste sentido.

Quanto às externalidades negativas, a maioria delas é de fácil percepção … Já o efeito barreira é menos evidente e costuma ser percebido quando se torna um problema social. Vocês conhecem exemplos de cidades ou regiões nas quais o efeito barreira ficou evidente?

Sustentamo-nos

H.F.Maciel

Autores de referência:

  • Guimarães & Cruz, 2013; Schakenbos, La Paix, Nijenstein, & Geurs, 2016
  • WRI Brasil, 2017
  • Mont’alvao, 2011; Banister, 2011

Compartilhar:

Postado em Mobilidade, Transportes e Sustentabilidade.

Mestre em Administração na PUC-MG, MBA em Marketing na ESPM, especialização em Business pela U. C. Berkeley e em Gestão de Transportes pela Fundação Dom Cabral. Vasta experiência como executivo, atua como consultor, professor e é membro do conselho de administração de empresas no setor de transportes urbanos. Experiência profissional adquirida em mais de 15 anos de atuação em empresas de diferentes segmentos de mercado bem como em Private banking na SUÍÇA, por cerca de 2 anos. Coordenador do Núcleo de Pesquisa e Inteligência da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico - Camara-e.net - Cidades Inteligentes e a Economia Digital