A sustentabilidade nas ações diárias dentro das corporações

Gestão e liderança: A sustentabilidade nas ações diárias dentro das corporações

A crença de que a sustentabilidade está somente nas ações ambientais e nas pegadas deixadas no planeta nessa esfera, cai por terra a partir do entendimento dos 17 ODS (Objetivos do desenvolvimento sustentável) que foram estabelecidos em 2015 junto a ONU (Organização das nações unidas), onde foi definido um plano internacional com 169 metas, criando assim um guia para a humanidade até o ano de 2030.

Esse plano que atua em cinco perspectivas (Planeta, pessoas, parceria, prosperidade e paz) envolve muitos fatores ligados ao dia a dia empresarial e seu envolvimento vai além das corriqueiras ações ambientais e apoio social a comunidades específicas.

Falar que as estratégias do desenvolvimento sustentável são maiores do que pequenos projetos pontuais já é muito comum, porém, aplicar de fato dentro das empresas, é uma grande incógnita para muitos e seu trabalho precisa iniciar junto a liderança principalmente, que precisa estar habilitada a lidar com tudo o que realiza de forma muito mais abrangente. Em um passado próximo, a empresa fora responsável pelo seu colaborador no período que ele estava a sua disposição somente, porém, ao perceber que toda a sua jornada extra laboral gerava impactos significativos no dia a dia de trabalho, empresas pioneiras começam a olhar para as pessoas de outro modo e esse é o fator que quero destacar nesse texto: A relação empresa x colaborador também precisa ser pensada de forma sustentável, pois o relacionamento precisa ser duradouro e deixar impactos positivos ao seu termino e para isso, existem ações que devem ser planejadas para que o trabalho seja apenas o efeito de ações produtivas.

 

  1. Cultura: Já se fala muito sobre cultura empresarial e entrar nesse detalhe seria falar mais do mesmo, porém, um dos fatores que mais impactam na sustentação do relacionamento empresa x funcionário é a cultura empresarial. Esse tema precisa ser entendido em longo prazo, visto que pessoas com um valor ou entendimento que diverge da cultura fomentada pela empresa irá tornar o relacionamento insustentável de alguma forma, causando desequilíbrio na empresa (talvez pela baixa produtividade) ou no funcionário (níveis de stress, desmotivação e outros impactos negativos), portanto, desenvolver uma cultura e colaboradores que congreguem do mesmo entendimento é a forma mais importante de gerar relacionamentos de qualidade.

 

  1. Propósito: Quantas vezes não vemos empresas que citam ao colaborador que sua vida pessoal nada tem a ver com a profissional? Isso tem se tornado uma comunicação constante, com um objetivo utópico de fazer com que as pessoas esqueçam sua vida pessoal no trabalho e esqueçam seu trabalho quando estão fora dele, e que no meu ponto de vista é praticamente impossível. Olhando para esse fato, só existe uma forma de minimizar os impactos entre pessoal e profissional que é o propósito. Empresas que se alinham e conectam o propósito da empresa ao do colaborador criam uma relação mais amistosa e direta, somando forças e auxiliando a evolução do desempenho de seus funcionários. Empresas que participam dos anseios individuais de seus colaboradores costumam ter pessoas mais engajadas e produtivas, portanto o propósito é o fator que une as duas partes da relação criando assim um jogo de ganha-ganha.

 

  1. Aprendizado constante: A educação é o ponto chave para qualquer mudança de habito e para se criar uma visão sustentável dentro de uma corporação, sem um plano de educação é praticamente impossível. O investimento em orientação e treinamento tem um retorno intangível que pode auxiliar a empresa na evolução do seu dia a dia através da evolução dos comportamentos. Criar projetos de sustentabilidade, planos de diversidade e inclusão e fomentar projetos sociais requerem além do projeto, o envolvimento de todos para fazer o plano dar certo e o único caminho é a educação, que irá mostrar a importância de cada um desses planos e trazer uma visão da importância desses programas para o todo.

 

  1. Inovação: A inovação está muito representada pela tecnologia e é vista dessa forma pela maioria das empresas, porém, quando tratamos de relacionamentos, precisamos olhar para a inovação em nossa forma de lidar com o outro. Muitas empresas avaliam benefícios, jornada de trabalho e regras específicas de forma ainda analógica e deixam de fomentar um ambiente produtivo e criativo, que pode ser obtido com a inovação nesse tipo de questão. O funcionário não é mais somente o que ele trabalha, mas também o que ele vive. Uma pessoa que tem uma vida de melhor qualidade, também tem melhor produtividade e ainda referencia positivamente seu ambiente de trabalho. Essa questão de inovar e gerir pessoas de acordo com a especificidade é o processo mais difícil em recursos humanos, porém o de maior resultado, portanto, uma inovação na gestão de pessoas deve ser visto como tema prioritário dentro de uma empresa que espera obter melhores resultados do que a concorrência.

Como podemos ver, sustentabilidade é muito mais do que um tema, uma área ou uma estratégia pontual. Sustentabilidade é uma forma de olhar o todo e com a gestão não é diferente. Tomar atitudes pensando somente no agora, irá gerar impactos futuros que podem ser irreparáveis, portanto, desenvolva seu projeto de gestão pensando no todo e terá uma empresa prospera e alinhada com os objetivos de desenvolvimento sustentável, que representam uma agenda de esperança para a evolução dos relacionamentos.


Compartilhar:

Postado em Sustentabilidade Corporativa e ESG e marcado como , , , , , .

Luiz Otávio Goi Jr. tem formação na área ambiental, especialista em Educação, Saúde e Segurança do Trabalho, Sustentabilidade Empresarial e MBA em Gestão Empresarial. Tem expressiva vivência em gestão no ramo da indústria, na qual soma mais de 15 anos de experiência nos ramos automobilístico, energia e bens de consumo. Atualmente, é executivo em sistemas de gestão em indústria de grande porte, autor dos livros “Administrando sistemas, gerindo processos e engajando pessoas” e “Aprimorando sistemas, otimizando processos e desenvolvimento pessoas”, e publica artigos periódicos voltados a sistemas de gestão, sustentabilidade, gestão empresarial e corporativa em revistas e páginas técnicas na área.