Brasil tem um dos mercados de energia solar mais atrativos

Um relatório divulgado pela empresa de pesquisa de mercado Fitch Solutions classificou o Brasil, junto com a Espanha, como os mercados de energia solar mais atrativos para investidores.

Segundo os analistas, o Brasil vem ganhando destaque mundial ao apresentar forte queda nos preços de projetos de geração centralizada, que englobam as grandes usinas solares que se espalham pelo país a cada ano, especialmente na região Nordeste.

A afirmação é feita com base nos últimos certames de energia realizado pelo governo, como no leilão A-4 de 2019, quando o preço da solar atingiu mínima histórica no país.

O estudo prevê esse cenário como tendência para os próximos anos, além do aumento nas instalações de painel solar dentro do segmento de Geração Distribuída (GD).

Iniciada em 2012 pelas regras da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), a GD segue um crescimento exponencial desde então, atraindo cada vez mais brasileiros por apresentar uma solução definitiva para a constante inflação energética no país.

Um novo impulso veio em 2015, quando a atualização das regras da Aneel trouxe novas modalidades de geração que permitiram ampliar o número de beneficiários por instalação.

Entre as fontes de energia renováveis permitidas pelo segmento, a solar fotovoltaica lidera invicta desde o início, respondendo por mais de 99% dos micros e minigeradores instalados.

Além dos benefícios para os consumidores, essa evolução da energia solar no país também fomenta um mercado que atrai bilhões em investimentos e gera milhares de empregos de qualidade a cada ano.

Segundo o último levantamento feito pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), já são mais de 264 mil empregos acumulados pela solar no país desde 2012.

A resiliência da tecnologia no Brasil, que ganha mais visibilidade a cada novo aumento do preço da energia, também reforça a atratividade do mercado para novos profissionais.

Em meio à atual crise de saúde no país, a tecnologia empregou mais de 86 trabalhadores em 2020 e deve gerar novas 147 mil novas vagas este ano, segundo dados e projeções da ABSOLAR.

De acordo com o relatório da Fitch, a capacidade total instalada da energia solar no Brasil irá subir de 3,4 gigawatts (GW) em 2019 para cerca de 12 GW em 2028.


Compartilhar:

Postado em Energias Renováveis, Mercado e Tecnologias e marcado como , .

Graduando em letras inglês-português pela Universidade Paulista, apaixonado por tecnologias verdes e tudo ligado à sustentabilidade. Atua há mais de 5 anos no setor de energia solar.