Brainstorming Ambiental

Brainstorming ambiental ambiental – Os processos de globalização, que a cada dia mais se intensificam em toda a vastidão do planeta, são responsáveis por proporcionar a integração das mais diversas áreas do cotidiano, rompendo barreiras até então de difícil transposição, como questões culturais, linguísticas, políticas, geográficas, dentre outras.

A informação passa cada vez mais a circular de forma ágil e desenfreada em nações capitalistas, principalmente com o advento da internet, a qual revolucionou a comunicação em todos os seus âmbitos e segmentos. Neste sentido as exigências sociais frente ao mundo corporativo crescem diariamente, cooperando para o surgimento de grupos que exercem pressão e fiscalizam toda e qualquer atividade empresarial em todo o mundo.

Os governos passaram a deferir grande interesse/preocupação às questões ambientais, manifestando suas vontades (interesse social) através de leis e demais instrumentos normativos com o intuito de regular as atividades que causem ou possam causar significativos danos ambientais.

Grupos de pessoas e entidades não governamentais declararam combate a todo e qualquer dano irresponsável ao meio ambiente, agindo como fiscalizadores independentes da saúde e equilíbrio ambiental, principalmente frente a empresas e grandes corporações.

A sociedade passou a desenvolver valores de respeito e preservação ambiental e, daí, a exigir de empresas o respeito e, além disso, o investimento e a colaboração para a consubstancialização de tal desiderato.

A internet tem se manifestado como importante meio de difusão e propagação de ideias e informações, as quais jamais atingiriam tamanha divulgação e amplitude em outros meios de comunicação, geralmente dotados de interesses ora políticos e econômicos, ora estritamente lucrativos. Assim, um pequeno deslize por parte de alguma empresa pode se tornar um fato de grande repercussão tanto nacional como internacional, o que denota a necessidade de uma política ambiental eficaz e pertinente frente às novas exigências atuais.

São necessárias então respostas a tais exigências. Por algumas serem imposições expressas (nos casos de legislação) e por outras serem exigências sociais e de mercado, a empresa se vê frente à necessidade de desenvolver uma política ou estratégia efetiva, que atenda a aquilo que lhe é exigido tanto pelo Governo como pela sociedade de um modo geral.

Não se pode mais falar em empresa inativa e desatenta em face das questões ambientais. Exige-se a conduta ambiental em qualquer ambiente corporativo e, partindo de tal preceito, o empresário poderá desenvolver meios inovadores e criativos capazes de tornar a questão não um encargo à empresa, mas sim um diferencial de mercado que agregue lucratividade e sucesso a seu negócio.

No entanto, antes de buscar criar qualquer estratégia ou política ambiental, a empresa deve realizar um levantamento completo de suas principais dificuldades e problemas relacionados ao assunto.

Uma técnica bastante conhecida e difundida no campo dos negócios e que bastante se encaixa na questão é conhecida como “Brainstorming”, do inglês, tempestade de ideias ou tempestade cerebral.

A técnica, bastante utilizada nos Estados Unidos e também em países como Canadá e Inglaterra, consiste na reunião de determinado número de pessoas (geralmente entre duas e dez), dos mais variados cargos e posições hierárquicas dentro da organização, com a finalidade de, através da discussão descentralizada e da diversidade de pensamento de cada integrante, se chegar a um denominador comum, ou seja, a um consenso sobre determinado fato ou elemento proposto.

Neste sentido, tal técnica se encaixa perfeitamente à necessidade primária em se buscar estabelecer as principais falhas e necessidades da empresa em matéria ambiental. É por meio da apresentação de ideias e considerações das mais variadas formas que cada problema será localizado dentro da corporação. Aquelas questões que já sejam um consenso não necessitam ser discutidas, uma vez que já há certeza fundada sobre elas. No entanto aqueles problemas ainda não localizados ou aqueles dotados de incertezas, contradições ou obscuridades, devem ser encontrados e lapidados por meio das práticas inerentes à técnica em questão.

Brainstorming, em sentido pragmático, consiste na reunião, como já dito anteriormente, de duas a dez pessoas dos mais variados setores e/ou hierarquia da corporação. Uma vez reunidas, elas irão apresentar suas ideias de forma desimpedida, sem qualquer compromisso em ser ou não objetivo frente ao tema proposto, devendo apresentar aquilo que pensa e considera sobre a questão proposta de forma ampla, ou seja, toda ideia que tenha alguma relação com o proposto será bem vinda. Somente assim, livre de qualquer exigência em estar certa a ideia apresentada ou aquelas relacionadas à subordinação, é que se poderá melhor desenvolver e estabelecer os reais problemas corporativos ambientais.

Não se trata de um debate de ideias, de pensamentos colocados em rota de colisão, tendo apenas um selecionado ou tido como certo, mas sim de uma exposição com o intuito de compor um todo; por meio da colaboração, mesmo que pequena, de cada um, poderá se chegar à totalidade.

É óbvio que as ideias apresentadas serão muitas vezes totalmente ou parcialmente descartadas, pois a própria característica da técnica assim exige, visto que ela se baseia na livre produção e exposição de pensamento objetivando-se a maior apresentação possível de ideias para compor um todo.

Nesse pensar, no caso da busca pelo conhecimento de um problema ou uma dificuldade ambiental da empresa, cada pessoa ali presente poderá, de acordo com sua vivência dentro da corporação, com suas convicções e também através de sua experiência profissional, contribuir, mesmo que de forma fragmentada, para se chegar a um consenso sobre determinado problema existente.

Assim se dá não somente de forma estrita no desenvolvimento de uma estratégia ou política ambiental. No mundo corporativo, antes de qualquer ação objetiva e estratégica, se faz cogente anterior preparação e, acima de tudo, conhecimento dos pontos fortes e fracos da empresa, de suas virtudes e falhas. Não poderia então ser diferente no que tange a elaboração de determinada estratégia ou política ambiental corporativa.

O autoconhecimento é essencial a toda empresa que pretenda, de alguma forma, obter sucesso no mercado e na sociedade como um todo. Primeiramente deve-se conhecer a si próprio para então partir em busca de conhecimento alheio.

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *